Catequese da Infância e Adolescência

Encontros e Festas da Catequese

Infância e Adolescência: Para educar na Fé as crianças e os adolescentes, a Paróquia ajuda e colabora com as famílias com um serviço de Catequese de dez anos: dos seis aos dezasseis anos.

 

Matrículas:

Todas as crianças que completam seis anos de idade até 31 de Dezembro e entram para o primeiro ano do Ensino Básico, podem matricular-se no primeiro ano de Catequese.

Devem apresentar a cédula do Baptismo e uma fotografia tipo passe. Até 30 Setembro 2019 na Secretaria Paroquial no Horário Habitual.

Início:

12 de Outubro de 2019

Com a suspensão dos encontros de catequese devido à situação de emergência que vivemos, comunico que todas as festas programadas para maio e junho (festa da Eucaristia, festa da Fé, etc.) são adiadas para outras datas posteriores.

Comunico, igualmente, que, para segurança de todos, este ano de catequese está terminado.

Agora é tempo de FICAR EM CASA.

Um abraço amigo do vosso pároco, Padre Jorge Duarte.

Vós sois demasiado valiosos para atravessar a vida como que anestesiados!

Alerta o papa Francisco os Adolescentes e Jovens.

Jovens: A Paróquia, como lugar e espaço de acolhimento e encontro juvenil, proporciona aos jovens a possibilidade de integrarem.

Grupos de reflexão e formação: Grupos para iniciativas culturais e recreativas;

                                                             Agrupamento de Escuteiros (C.N.E.)

Ser catequista em tempo de Coronavírus

 

O Papa Francisco recordava-nos no discurso que fazia aos catequistas participantes no Congresso Internacional da Catequese durante o Ano da Fé (2013):

Ser catequista! Não trabalhar como catequista: isso não adianta! (…) Catequista é uma vocação. Ser catequista: é esta a vocação; não trabalhar como catequista. Atenção, que eu não disse fazer de catequista, mas sê-lo, porque compromete a vida”.

“Mas, por favor, não se compreende um catequista que não seja criativo. A criatividade é como que a coluna do ser catequista. Deus é criativo, não se fecha, e por isso nunca é rígido. Deus não é rígido! Acolhe-nos, vem ao nosso encontro, compreende-nos. Para sermos fiéis, para sermos criativos, é preciso saber mudar. Saber mudar. E porque devo mudar? É para me adequar às circunstâncias em que devo anunciar o Evangelho”.

Neste tempo difícil em que nos encontramos, todos nós, catequistas, estamos convidados a viver, mais do que nunca, estas palavras do Papa. Não podemos “fazer” de catequistas, pelo menos da maneira habitual; mas isso não é razão para devermos deixar de “ser” catequistas: Somos catequistas, sempre! Chamados a ser criativos!

De facto, porque não podemos “fazer” de catequistas, esta situação oferece-nos uma grande oportunidade para experimentar o que significa “ser” catequistas. Aqui ficam então algumas sugestões para estes tempos de Coronavírus:

  1. Reza pelas crianças e adolescentes da catequese, pelos seus familiares, pelos outros catequistas e por todas as outras pessoas da paróquia.

  2. Contacta (por chamada telefónica ou videochamada, chats, mensagens, WhatsApp…) os pais dos catequizandos e interessa-te por eles e pelas suas famílias.

  3. Pergunta se podes fazer alguma coisa por eles ou pelos seus filhos: ajudá-los com as compras, as tarefas, os trabalhos escolares das crianças ou adolescentes…

  4. Dá os parabéns aos teus catequizandos nos aniversários, ou torna-te presente para festejar qualquer acontecimento, mas sempre através de meios informáticos para a comunicação.

  5. Procura realizar, se for possível, e de acordo com os pais, uma videochamada de grupo para saudares as crianças ou adolescentes e estares um pouco com eles como grupo; para rezarem juntos uma breve oração ou terem um momento de catequese em grupo.

  6. Mantém o contacto através dos meios informáticos com os outros catequistas da paróquia e com o pároco, ou com catequistas de outras paróquias: para se animarem mutuamente e partilharem a vida, perguntarem pelas pessoas conhecidas e interessarem-se pelas suas situações.

  7. Não te esqueças de dedicar tempo a ti própria/o como catequista: para continuares a aprofundar a nossa vocação e identidade de catequistas e, na formação, para cultivares a nossa espiritualidade por meio da oração e da meditação, para fazeres essas leituras de apoio à catequese para as quais nunca temos tempo.

 

NOTA: Ser catequista em “tempos de coronavírus” é um texto que foi preparado por várias delegações de catequese de Espanha e que compartilhamos com pequenas adaptações, considerando que poderá servir de ajuda na conjuntura atual.

© 2012-20 Paróquia de S. Cristovão de Mafamude